domingo, 19 de junho de 2011

Pastoras Lésbicas Lanna Holder e Rosaina Rocha! Tudo em Nome do Amor!


Pastoras Lésbicas querem fazer 

Evangelização na Parada Gay de SP!


Lanna Holder e Rosaina Rocha dizem que movimento perdeu o propósito. Oraganização diz que evento continua reivindicando direitos humanos.


Jesus comparou os dias que antecederiam o arrebatamento com uma mulher em trabalho de parto. E é assim mesmo, uma contração após a outra, cada vez mais forte, até que nasce a criança, e a dor já não existe. Estas contrações estão fortes demais na Terra, e principalmente no meio das igrejas. Querem mudar a verdade de Deus em mentira, e acabou! Tudo em nome de um amor mentiroso, fingido, distorcido, de uma piedade e mansidão que esconde os ardís do inimigo! Por trás de tanta compaixão, um inimigo oculto, sagaz, capaz de destruir e arrebatar milhões para o inferno em nome de uma falsa fé. Deus é amor, mas seu amor é Santo.
E o povo não se corrompa, santidade ao Senhor!
Santidade como Ele quer, como Ele ensina.
Oremos por Lanna, pois de uma forma quase que irremediável, ela será responsável pela perdição de um número incontável de vidas.

Só o Senhor é Deus!

Esta é uma matéria publicada no portal G1 de Notícias!
Jesus está às portas, guarda o que tens para que ninguém tome a sua coroa!

Do G1 SP
Para o casal de pastoras, a Parada Gay perdeu seu propósito inicial de lutar pelos direitos dos homossexuais (Foto: Clara Velasco/G1)Para o casal de pastoras, a Parada Gay perdeu seu propósito inicial de lutar pelos direitos dos homossexuais (Foto: Clara Velasco/G1)
Três semanas depois de inaugurar uma igreja inclusiva e voltada para acolher homossexuais no Centro de São Paulo, o casal de pastoras Lanna Holder e Rosania Rocha pretende participar da Parada Gay de São Paulo, em 26 de junho, para "evangelizar" os participantes. Estudantes de assuntos ligados à teologia e a questões sexuais, as mulheres encaram a Parada Gay como um movimento que deixou de lado o propósito de sua origem: o de lutar pelos direitos dos homossexuais.
“A história da Parada Gay é muito bonita, mas perdeu seu motivo original”, diz Lanna Holder. Para a pastora, há no movimento promiscuidade e uso excessivo de drogas. “A maior concepção dos homossexuais que estão fora da igreja é que, se Deus não me aceita, já estou no inferno e vou acabar com minha vida. Então ele cheira, se prostitui, se droga porque já se sente perdido. A gente quer mostrar o contrário, que eles têm algo maravilhoso para fazer da vida deles. Ser gay não é ser promíscuo.”
As duas pastoras vão se juntar a fiéis da igreja e a integrantes de outras instituições religiosas para conversar com os participantes da parada e falar sobre a união da religião e da homossexualidade. Mas Lanna diz que a evangelização só deve ocorrer no início do evento. “Durante [a parada] e no final, por causa das bebidas e drogas, as pessoas não têm condição de serem evangelizadas, então temos o intuito de evangelizar no início para que essas pessoas sejam alcançadas”, diz.
Leandro Rodrigues, de 24 anos, um dos organizadores da Parada Gay, diz que o evento “jamais perdeu o viés político ao longo dos anos”. “O fato de reunir 3 milhões de pessoas já é um ato político por si só. A parada nunca deixou de ser um ato de reivindicação pelos direitos humanos. As conquistas dos últimos anos mostram isso.”
Segundo ele, existem, de fato, alguns excessos. “Mas não é maioria que exagera nas drogas, bebidas. Isso quem faz é uma minoria, assim como acontece em outros grandes eventos. A parada é aberta, e a gente não coíbe nenhuma manifestação individual. Por isso, essas pastoras também não sofrerão nenhum tipo de reação contrária. A única coisa é que o discurso tem que ser respeitoso.”
Negação e aceitação da sexualidade
As duas mulheres, juntas há quase 9 anos, chegaram a participar de sessões de descarrego e de regressão por causa das inclinações sexuais de ambas. “Tudo que a igreja evangélica poderia fazer para mudar a minha orientação sexual foi feito”, afirma Lanna. “E nós tentamos mudar de verdade, mergulhamos na ideia”, diz Rosania. As duas eram casadas na época em que se envolveram pela primeira vez.
O casal passou por sessões de descarrego e regressão por causa da orientação sexual (Foto: Clara Velasco/G1)O casal passou por sessões de descarrego e
regressão por causa da orientação sexual (Foto:
Clara Velasco/G1)
“Sempre que se fala em homossexualidade na religião, fala-se de inferno. Ou seja, você tem duas opções: ou deixa de ser gay ou deixa de ser gay, porque senão você vai para o inferno. E ninguém quer ir para lá”, diz Lanna.
A pastora afirma que assumir a homossexualidade foi uma descoberta gradual. “Conforme fomos passando por essas curas das quais não víamos resultado, das quais esperávamos e ansiávamos por um resultado, percebemos que isso não é opção, é definitivamente uma orientação. Está intrínseco em nós, faz parte da nossa natureza.”
Igreja Cidade de Refúgio
Segundo as duas mulheres, após a aceitação, surgiu a ideia de fundar uma igreja inclusiva, que aceita as pessoas com histórias semelhantes as delas. “Nosso objetivo é o de acolher aqueles que durante tanto tempo sofreram preconceito, foram excluídos e colocados à margem da sociedade, sejam homossexuais, transexuais, simpatizantes”, diz Lanna.
Assim, a Comunidade Cidade de Refúgio foi inaugurada no dia 3 de junho na Avenida São João, no Centro de São Paulo. Segundo as pastoras, em menos de 2 semanas o número aumentou de 20 fiéis para quase 50. Mas o casal ressalta que o local não é exclusivo para homossexuais. “Nós recebemos fiéis heterossexuais também, inclusive famílias”, diz Rosania.
Apesar do aumento de fiéis, as duas não deixaram de destacar as retaliações que têm recebido de outras igrejas através de e-mails, telefonemas e programas de rádio e televisão. “A gente não se espanta, pois desde quando eu e a pastora Rosania tivemos o nosso envolvimento inicial, em vez de essa estrutura chamada igreja nos ajudar, foi onde fomos mais apontadas e julgadas. Mas não estamos preocupadas, não. Viemos preparadas para isso”, afirma Lanna.
Vigiai e orai, pois não sabei a que horas há de chegar o Filho do Homem.
Este é um caminho que dificilmente tem volta. O quê aconteceu com todo aquele testemunho de transformação, vida e poder de Deus? Não se trata de apontamento, não estou aqui para condená-las, mas para proclamar que os dias são maus sim, que Jesus Cristo está voltando, e que a iniquidade é grande demais. Elas podem pregar o que quiserem em Nome deste amor de Deus que aceita tudo como queremos e nada é como Ele deseja e nos ensina. Sua Palavra de Vida Eterna é dada a todo aquele que crê, mas quem não crê está condenado. E esta mesma Palavra condena, categórica e abertamente, todas as formas de prostituição, engano e mentira, inclusive os relacionamentos homossexuais. Desde o início dos tempos, tais práticas são condenadas por Deus e consideradas como abomináveis.
Não dá pra enganar! Não dá pra fugir à verdade apenas por considerar que isto não está correto! Todos esses terão de prestar contas diante de Deus, e isto é fato! O quê ela vai fazer com a passagem de Romanos 1, da Bíblia, ordenado pelo próprio Deus que ela diz seguir? Além de muitas outras passagens de igual teor?

Lamentável que Lanna, uma mulher chamada e escolhida por Deus para ser uma pregadora do Evangelho deste mesmo Deus, tenha se perdido tanto assim. Mas oremos por ela e a sua companheira, pois serão responsáveis pela perdição de um número incalculável de almas!

Já são grandes os estragos causados por esta nova identidade.
Estranho! Os homens preferem acreditar nos homens e buscar neles o refúgio da aceitação e da Vida Eterna! Quando na verdade, estes nada podem fazer! 
Engano! Puro Engano!
Como podem dar o que não têm? E se dizem que servem a Deus e agem em Nome Dele, que Deus é esse que tem duas palavras, dois pesos e duas medidas? 
A Palavra do Senhor nos diz que Ele não muda, e que Nele não encontramos sombra de variação!


Esta é mais uma obra de Satanás, para enganar as almas, e arrebatá-las ao inferno junto com seus líderes!
Deus é claro quando diz que os homossexuais não herdarão o Reino dos Céus!
Ele oferece Vida Eterna a todos! Mas não é como queremos, e sim como Ele quer!

"Quem tem sede, venha e beba de graça da água da Vida! Eis que estou à porta e bato, se abrires, entrarei, cearei contigo e farei em ti morada! Nem todo o que me diz: _ Senhor! Senhor! Entrará no Reino dos Céus! Nos últimos dias se levantarão homens amantes de si mesmos, presunçosos, arrogantes, mais amantes dos deleites do que de Deus, obstinados, que procurarão pastores que os apascentem segundo os seus corações!"

Mas ainda resta um remanescente! Há um povo que ficará firme! Este povo tão louco e contrário a este regime mundano, ouvirá a Trombeta tocar!  
Vale a pena pagar o preço! 

Falta pouco! Muito pouco!

Vida de Cão! Mas quem é Irracional? Advogado reencarnado?

Corte judaica teria condenado à morte cão suspeito de ser advogado reencarnado!

Atualizado em  18 de junho, 2011 - 08:27 (Brasília) 11:27 GMT
AP
Cães são considerados animais impuros no Judaísmo Tradicional.
Um tribunal judaico de Jerusalém (Israel) condenou um cão vira-latas à morte por apedrejamento, devido ao temor de que ele fosse a reencarnação de um advogado que insultou juízes da mesma corte, segundo apontam relatos.
De acordo com o site de notícias israelense Ynet, o cachorro entrou há algumas semanas no tribunal - composto por rabinos - e não saiu mais de lá, o que fez um juiz lembrar de uma maldição imposta a um advogado secular, já morto.
Na ocasião, há cerca de 20 anos, os juízes do tribunal do bairro ultraortodoxo de Mea Shearim desejaram que o espírito do advogado entrasse no corpo de um cão - animal tido como impuro no judaísmo tradicional – depois que ele proferiu insultos à corte.
Mesmo sentenciado à morte por apedrejamento, o cachorro conseguiu escapar do prédio do tribunal antes que a condenação fosse levada a cabo, afirma o Ynet.
Segundo relatos, um dos juízes do tribunal pediu às crianças da localidade que encontrassem o cachorro e executassem a sentença. Devido ao caso, uma organização de proteção aos animais registrou queixa na polícia contra uma autoridade da corte.
Vingança
Segundo o site Ynet, o tribunal nega que os juízes tenham condenado o vira-latas à morte.
No entanto, um representante da corte disse ao jornal Yediot Aharonot que o apedrejamento foi ordenado como uma "maneira apropriada de 'se vingar' do espírito que entrou no pobre cão".
Os tribunais rabínicos (battei din) são investidos do poder de julgar questões religiosas em Israel e em algumas outras comunidades ultraortodoxas pelo mundo.
É, e dizem que os animais é que não pensam!
Fonte: BBC